08 de Novembro

Feedback dos Pais

Depois de 8 meses de aula de guitarra, as primeiras turmas do Instituto Rolling Stone se formam agora no final do mês de novembro. Os pais, orgulhosos de seus pequeninos, compartilharam conosco a emoção de ver seus filhos evoluirem em tão pouco tempo, graças ao rock and roll.

Veja alguns depoimentos dos pais dos pequenos rolling stones:

Mãe do Rodrigo – Maria Zilda

“Ele gosta tanto que ele tem uma guitarra de brinquedo e ele não deixa ninguém ouvir mais nada na minha casa, é só aquele bendito cd que ele ganhou lá do Rolling Stone, do Rock n Roll. Ele só fica pondo isso. Ele só quer ouvir isso. De noite, quando eu chego em casa, não da pra mim ver minha novela, ele só quer por isso no cd, o tempo todo.”

“O professor da escola falou que ele melhorou muito. Antes ele era um menino quieto, que não falava quase nada. Ele era calado até demais, ele guardava tudo pra ele. Aí quando ele brigava, ele pegava os moleques e queria acabar com eles. Eu era chamada na escola porque ele era quieto demais, mas quando pegava, não queria soltar e brigava violentamente. E agora não, agora ele faz com os amigos os trabalhos que tem que fazer em grupo, o professor falou que ele mudou bastante”.

 Avó do Gabriel – Amélia

“Ele mudou bastante. Ele passou a gostar muito de música. Ele já tocava um pouco de violão e agora ele está super feliz e está super bem na escola”

 Mãe da Jéssica – Lozenilde

“Ela gosta muito das aulas de guitarra. Terça-feira passada ela não foi porque eu tive que levar ela no médico para tirar os pontos da boca. A Jéssica está muito empolgada. Todo dia me apressa para sair na terça feira. Ela falou pra mim ‘Ah mãe, eu não queria ter que faltar na aula de guitarra’, mas eu precisei tirar os pontos dela. Ela não gosta de perder a aula não. Ela adora fazer aula de guitarra”.

Mãe da Caline – Marilene

“Ela está melhorando na escola. Quando eu falo que não dá pra mim levar na aula de guitarra ela fica triste porque ela não quer faltar”.

Mãe da Maria Antônia  - Mariza

“Ela está gostando bastante. Às vezes quando chamam ela para alguma coisa na terça-feira ela fala ‘ Eu não posso faltar na escola, porque eu tenho que ir pra aula de guitarra’. Então acaba se criando uma responsabilidade.”

“Eu percebi que ela mudou na questão com os irmãos. Está cuidando mais deles e não está mais desleixada como era antes”

 Mãe do Caio Camargo(aluno de 15 anos com síndrome de down)–Sandra

“Uma coisa legal das aulas pro Caio é o fato dele gostar, dele se interessar por alguma coisa. Ele está mais a vontade com os amigos e mais próximo e preocupado com os amigos da aula de guitarra. Para ele, estão  sendo muito boas estas aulas. Eu não posso te dizer o quanto ele está aprendendo, porque ele tem mais dificuldade. Tanto que nas férias, quando eles levaram a guitarra pra casa, ele tentava ensaiar, a gente comprou até o amplificador pra ele. Mas os dedinhos da mão esquerda tem mais dificuldade. Mas ele gosta! A gente percebe que ele tenta. “

“Eu acho que por ele ser especial e ter tido esta oportunidade de fazer esta atividade com música ele ficou mais a vontade também de um modo geral. De um modo geral, teve um progresso na vida dele.”

“Ele adora essas aulas, o dia que ele precisou faltar ele ficou muito bravo.Então a gente percebe o quanto ele gosta. Ele se sente importante de estar indo, porque eu deixo ele na escola de manhã e ele já vai. Eu só vou buscar ele às 4 horas naquele dia. Então ele se acha o adolescente. Porque pra ele é uma responsabilidade dele se cuidar, ter que ficar esperando a van, ir pras aulas, depois voltar. Então, para ele, em tudo teve um crescimento e um aprendizado.”

Mãe do Arthur – Cleide

“Ele está gostando bastante. Eu acho que abriu pra eles um universo musical diferente, coisas que eles não tinham muito acesso.  Foi legal também porque misturou alunos de séries diferentes, eles fizeram mais amigos, formaram um grupo.”

Pais do Lucca – William e Luci

“Incentivamos totalmente. Inclusive em casa, tem mudado bastante o comportamento dele, ele está mais tranqüilo. Muito centrado. Ele está o tempo todo treinando. Ele está se superando. Durante o dia a gente está trabalhando, quando a gente chega ele já tirou mais um pedaço da música e vem mostrar perguntando se está bom”

“Ele chegou um dia dizendo que tinha feito inscrição no Instituto Rolling Stone. A gente queria saber o que era o Instituto e realmente isso aqui é maravilhoso, uma iniciativa incomum. É esse tipo de pessoas que tem que existir pra pegar essa garotada e tirar só da escola e levar pra casa”

“O Lucca mudou muito, inclusive na escola, as notas dele superaram expectativas, mudou pra muito melhor!